CARIMBO


O carimbo tem uma história de milhares de anos. Os primeiros relatos remontam de mais de 3.000 anos A.C. na Mesopotâmia, onde utilizavam gravuras escavadas em rolos de pedra. Etimologicamente, a palavra deriva do tráfico negreiro, quando os escravos africanos, antes de serem embarcados para as Américas, deviam receber a marca a ferro de que tinham sido pagos os impostos e taxas devidos à coroa. O vocábulo foi incorporado à língua e seu uso passou a denominar o acessório.

Sua confecção, originalmente usada nos selos pessoais para lacrar ou assinalar correspondências e documentos, era em metal e de forma artesanal. Nos tempos antigos, os reis utilizavam um anel para marcar em cera ou lacre a autenticidade da mensagem ou documento, sendo mais ou menos elaboradas, as formas que estavam gravadas nesse anel.

Alguns carimbos resistem ao tempo e a modernidade estética por mais de 100 anos sem modificações, como é o caso dos carimbos de madeira e borracha, subproduto surgido a partir da invenção do processo de vulcanização, em 1844, por Charles Goodyear.